A chegada do Chrome

Simples, minimalista e rápido. É  isso o que garantem os responsáveis pelo Chrome, a nova sensação no mercado de  navegadores web. Com um tom de azul característico dos produtos Google e um  design que valoriza o conteúdo da página visitada, o gigante das buscas começa  a enveredar por um novo caminho, tendo pela frente a Microsoft e uma das entidades que mais recebe investimentos do buscador, a Organização Mozilla.

Lançado em 2 de setembro, sob  forte especulação, o browser do Google alcançou, em apenas 2 dias, incríveis 1%  de participação na web; bem mais, por exemplo, do que o veterano Opera. Mas apesar  de muito glamourizado, especialistas em tecnologia afirmam que ainda é cedo  para prever a fatia de mercado conquistada, verdadeiramente, pelo novo navegador.  Acredita-se que os números mostrados até agora podem representar apenas a  grande curiosidade dos internautas acerca do produto.

Com mais de 75% do mercado, Microsoft  vê tudo como um estímulo a mais para continuar inovando em seu Explorer. Atitude  que parece fazer mais sentido ainda para o   browser da raposa. “Com o Firefox tendo ganho, aproximadamente, 20% do mercado ao longo de  4 anos, nós acreditamos que o Google Chrome pode alcançar de 15 a  20% do market share em 2 anos”, afirmou em  nota Douglas Anmutha, analista do Lehman Brothers – banco que serve  às necessidades financeiras de instituições ao redor do mundo.

Comemorando, neste mês de  setembro, 10 anos de história, a Google Inc. expande seus serviços aos  usuários, disponibilizando um browser que visa valorizar um ramo o qual ela tem  um forte domínio. Apresentando novidades como o sistema JavaScript V8, que  torna o carregamento de páginas mais rápido, e recursos já conhecidos, como as  abas, Chrome irá agora lutar para se tornar o navegador padrão de milhões de  usuários.

Anúncios

About this entry